Danos causados pelo sol

Como é que os raios UV afetam a pele?

A radiação UV atua sobre a pele através de quatro processos básicos:

  • Reflexão devido a alterações no índice de refração, que é especialmente importante para a luz visível e infravermelha
  • Difração pelas fibras e células de cada camada da pele, que é considerável para o estrato córneo e camada de melanina
  • Transmissão através das camadas epidérmicas
  • Só a absorção pode induzir uma reação fotoquímica em várias substâncias contidas nas células, como a queratina, melanina, proteínas ou pigmentos carotenóides

 

Os efeitos crónicos dos UV na pele são cumulativos e interdependentes. A radiação ultravioleta pode ser emitida a partir de uma fonte natural (o sol) ou de uma fonte artificial, como lâmpadas bronzeadoras. Embora os perigos dos UVB sejam conhecidos há muito tempo, os perigos dos UVA só recentemente se tornaram aparentes. Contudo, ambos são perigosos porque penetram na epiderme e podem afetar os olhos.

Raios UVB, o inimigo da epiderme

90% dos raios UVB são absorvidos pela epiderme, a camada superficial da pele. Estimulam a produção de um pigmento chamado melanina segregado pelos melanócitos, que dão cor à superfície da pele. Mas este belo bronzeado é na realidade a defesa da pele contra a agressão do sol. E quando a exposição aos UVB é tão forte que a pele já não consegue defender-se, é quando apanha um escaldão (os UVB são o principal culpado). Os UVB altamente energéticos podem causar danos diretos no ADN das células da pele: lesões de ADN. A longo prazo, isto pode levar à formação de cancros da pele. 

 

UVA: a penetração mais profunda

Os raios UVA penetram diretamente na hipoderme, a camada mais profunda da pele. Durante muito tempo, pensou-se que eram inofensivos porque, ao contrário dos UVB, não causam vermelhidões ou irritações provocadas pela exposição ao sol, pelo que não há desconforto quando penetram na pele. No entanto, os raios UVA são os principais culpados do envelhecimento cutâneo porque causam uma perda de elastina nas células cutâneas. A pele perde a sua elasticidade, seca e as rugas aparecem e ficam mais profundas. Os raios UVA também estão envolvidos no desenvolvimento de certos cancros da pele e melanomas. 

ACONSELHAMENTO AMIGÁVEL E ESPECIALIZADO 

Os riscos da exposição solar repetida 

Embora todos gostemos de estar numa praia no verão, a exposição ao sol não está isenta de riscos. A luz ultravioleta pode causar várias reações cutâneas e danos irreversíveis à pele e aos olhos. Nos casos mais graves, os danos podem ser fatais.

 

 

Bons hábitos para se proteger dos efeitos nocivos do sol

  • Não exponha a pele de bebés e crianças pequenas à luz direta do sol.
  • Não exponha a sua pele durante as horas mais quentes do dia: das 11h às 16h.
  • Use vestuário protetor apropriado (use uma t-shirt, óculos de sol, chapéu, etc.).
  • Use um creme solar com um SPF elevado. 
  • Não fique demasiado tempo ao sol, mesmo se estiver a usar um protetor solar.
  • Reaplique o seu creme solar frequentemente para manter a proteção, especialmente depois de transpirar, nadar ou de se secar com uma toalha.
  • Tenha cuidado: se não utilizar a quantidade recomendada de creme solar, reduz significativamente o nível de proteção.
Na mesma gama

AS NOSSAS SOLUÇÕES PARA PROTEGER O NOSSO FUTURO

Produtos de cuidado da pele da Eau Thermale Avène concebidos para proteger a pele e respeitar os oceanos

Fluido Sport SPF 50+

Fluido Sport SPF 50+

Protege

Creme SPF 50+

Creme SPF 50+

Acalma, protege

Fluido SPF 50+

Fluido SPF 50+

Protege

Stick Labial SPF 50+ Proteção muito elevada

Stick Labial SPF 50+ Proteção muito elevada

Protege