Sol e tratamento médico

Os medicamentos e o sol

Alguns medicamentos e algumas substâncias contêm moléculas que reagem à luz UV, o que significa que a sua estrutura muda quando são expostos ao sol tornando-se alergénicos ou mesmo tóxicos. Estas alterações podem levar ao aumento da sensibilidade da pele ao sol, conhecida como fotossensibilização.

Que medicamentos são fotossensibilizantes?

São vários: ansiolíticos, antibióticos, antidepressivos, antidiabéticos, tratamentos hormonais, etc. Se estiver a fazer tratamento médico, leia atentamente as instruções para ver se a luz solar é uma contraindicação enquanto estiver a tomar a medicação. E se estiver a planear umas férias, fale com o seu médico antecipadamente para evitar riscos de fotossensibilização.

O que é um tratamento ou medicação fotossensibilizante?

A medicação e a luz solar nem sempre se entendem. Alguns tipos de tratamento aumentam a sensibilidade da pele ao sol, pelo que devem ser tomados cuidados adicionais antes da exposição ao sol.

Algumas moléculas dos seus medicamentos podem tornar-se alergénicas ou mesmo tóxicas quando expostas ao sol. Estas alterações podem levar ao aumento da sensibilidade da pele ao sol, conhecida como fotossensibilização.

ACONSELHAMENTO AMIGÁVEL E ESPECIALIZADO

Seguir o plano de cuidados nas horas certas

Se possível, tome o seu medicamento ao final do dia, por volta das 17 ou 18 horas, em vez de manhã.

As vantagens e os danos que o sol traz para a pele

Como é que ocorre a fotossensibilização?

Há dois tipos de reação à fotossensibilização.

Reação fototóxica

Uma reação fototóxica é o tipo de reação mais comum e não deve ser confundida com alergia solar. Este tipo de reação ocorre quando é utilizada uma grande quantidade do produto fotossensibilizante. Manifesta-se nos minutos ou nas horas seguintes à exposição ao sol e resulta no aparecimento de marcas vermelhas nas áreas expostas ao sol do rosto, pescoço e decote, bem como braços, pernas e pés. Após a reação fototóxica inicial, uma maior exposição pode desencadear uma reação retardada ou fotoalérgica.

Reação fotoalérgica

Este é o tipo de reação mais raro e é causado pela utilização de uma pequena quantidade de produto fotossensibilizante já conhecido pela pele. Aparece no espaço de 24 horas ou mais após a exposição ao sol e resulta no aparecimento de prurido intenso nas áreas expostas ao sol, semelhante à urticária ou ao eczema, que pode, depois, espalhar-se para o resto do corpo. Também podem ocorrer anomalias de pigmentação, com uma cor castanha ou azulada.

Não ter nenhuma reação após um ano de tratamento não significa que não haja risco. Pode fazer vários passeios ao sol antes de ter uma reação alérgica fotossensível. E cuidado: também pode ter a mesma reação após as sessões de solário!

O que fazer se tiver uma reação de fotossensibilização

No caso de uma reação a um tratamento fotossensibilizante, toda a exposição ao sol deve ser imediatamente interrompida. Dependendo da gravidade, o seu farmacêutico ou médico vai sugerir um creme ou gel para acalmar a comichão e tratar possíveis bolhas.

Evite o sol

Como medida preventiva, é sensato reduzir as horas de exposição solar ao mínimo ou simplesmente não se expor ao sol de todo.

Escolha a proteção certa

Preste atenção ao que a sua pele lhe diz: embora os escaldões apareçam geralmente doze horas após a exposição, os pacientes descrevem frequentemente uma sensação de ardor no momento da exposição. Em todos os casos, a exposição aos raios UV deve ser evitada e deve ser utilizada a máxima proteção UVA/UVB.

Proteja-se durante todo o ano

Seja verão, seja inverno, faça chuva ou faça sol, os raios solares têm um efeito sobre a pele, por isso, é importante dar à sua pele a proteção diária de que necessita para a manter protegida durante todo o ano. Mesmo na cidade, aplique um creme hidratante com um SPF leve para filtrar os raios UV, para que possa apreciar o almoço ao ar livre com total tranquilidade!

Os antibióticos, à semelhança de outros medicamentos, são incompatíveis com o sol e podem causar reações tais como borbulhas, prurido e até problemas de pigmentação. Se estiver a passar por um tratamento médico, é essencial que leia as instruções antes de se expor ao sol para limitar os riscos associados à exposição solar. 

Além disso, os medicamentos não são as únicas substâncias fotossensibilizantes: alguns perfumes e outros cosméticos à base de álcool também são fotossensibilizantes, assim como certas plantas e frutos (relva, salsa, citrinos, figos, etc.).   O caso mais típico é quando uma pessoa faz sumo de limão, toca no braço e, depois, fica com marcas depois de estar ao sol. Como regra geral, lave sempre bem as mãos depois de comer ou cozinhar.
 

RESPONDEMOS ÀS SUAS PERGUNTAS

Não: apenas um passeio com bom tempo pode resultar numa reação fototóxica. De longe o tipo de fotossensibilização mais comum, este tipo de reação apresenta-se como um escaldão desproporcionado em relação ao nível de exposição solar.

Não ter nenhuma reação após um ano de tratamento não significa que não haja risco. Pode fazer vários passeios ao sol antes de ter uma reação alérgica fotossensível.

Os medicamentos não são as únicas substâncias fotossensibilizantes: alguns perfumes e outros cosméticos à base de álcool, bem como certas plantas e frutos (relva, salsa, citrinos, figos, etc.) são também fotossensibilizantes. O caso mais típico é quando uma pessoa faz sumo de limão, toca no braço e, depois, fica com marcas depois de estar ao sol. Como regra geral, lave sempre bem as mãos depois de comer ou cozinhar.

Na mesma gama

AS NOSSAS SOLUÇÕES PARA PROTEGER O NOSSO FUTURO

Produtos de cuidado da pele da Eau Thermale Avène concebidos para proteger a pele e respeitar os oceanos

Creme Mineral SPF 50+ Proteção Muito Elevada

Creme Mineral SPF 50+ Proteção Muito Elevada

Protege

Leite Mineral SPF 50+

Leite Mineral SPF 50+

Protege, hidratos